sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

POETA-MILITANTE DA PALAVRA DADA

POETA-MILITANTE DA PALAVRA DADA

sou um poeta-militante de causas perdidas
um eterno exilado infante
porque não suporto novos campos de concentração
nem elevadores sociais – causam-me claustrofobia
e
comigo estou sempre em guerra
podes
não acreditar mas não me vendo
estou
mesmo fora do mercado
mas se me deres rosas do cabo
talvez nas tormentas desse amor me e rende
       
mas não me interessa comer os teus frutos
e
limpar a minha boca amarga na tua
quero
roubar a tua alma dulcineia
a
galope contra novos moinhos de opressão
para resgatar quixote toda a minha militância
que reside renitente nesta pança de loucura.

Dinis H G Nunes

Sem comentários: