quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Um nome - Eugénio de Andrade

Um nome

Di-lo-ei pela cor dos teus olhos,
pela luz
onde me deito;
di-lo-ei pelo ódio, pelo amor
com que toquei as pedras nuas,
por uns passos verdes de ternura,
pelas adelfas,
quando as adelfas nestas ruas
podem saber a morte;
pelo mar
azul,
azul-cantábrico, azul-bilbau,
quando amanhece;
di-lo-ei pelo sangue
violado
e limpo e inocente;
por uma árvore,
uma só árvore*, di-lo-ei:
Guernica!


“*a árvore é uma referência ao
Carvalho sagrado do País Basco
e ao bombardeio de Guernica”



Sem comentários: